sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Tielle de Sète

Sète é uma cidade portuária do sul da França, pertencente à região Languedoc-Roussillon. É a cidade natal do escritor Paul Valéry e do cantor Georges Brassens e orgulha-se das suas culturas de ostras e mexilhões - ambos excelentes, posso garantir porque provei!

Uma das suas grandes especialidades são as tielle, umas empadas de polvo e tomate absolutamente deliciosas. Há várias outras versões, por exemplo, usando lulas ou uma mistura de polvo, lulas e mexilhões. Resolvi experimentar a versão clássica, aproveitando um jantar de amigos para o qual queria levar uma entrada. Usei como referência a receita do Cuisine Pied Noir, mas adaptei-a para usar o isco selvagem na confeção da massa.

Comem-se quentes ou frias, como prato principal ou como entrada. Normalmente, têm o formato de tartelettes, mas eu dei-lhes o formato de pequenas empadas.




Noite do dia anterior:

55 g de isco de trigo integral
100 g de farinha de trigo integral
100 g de água tépida

Misturar tudo numa taça de vidro e tapar com um saco de plástico. Deixar repousar durante 8 horas.


Manhã do próprio dia:

Mistura do dia anterior
300 g de farinha de trigo branca
50 ml de azeite
50 ml de água tépida
3 g de sal fino


Juntar a farinha e o sal e misturar bem. Abrir uma cova no meio.

À mistura do dia anterior, juntar o azeite e a água. Envolver. Verter a mistura na cova aberta na farinha. Tapar com a farinha que fica nas margens e cobrir. Deixar repousar alguns minutos.

Bater na batedeira profissional à velocidade 2 durante 8 minutos. Lavar a taça de vidro usada no dia anterior e colocar aí a massa. Tapar com o saco de plástico e deixar repousar durante 3 horas.

Dar umas voltas à massa e deixar repousar mais uma hora.

Dividir a massa em duas partes e tender com o rolo da massa até obter uma espessura fina. Colocar os círculos de massa em dois tabuleiros de ir ao forno forrados com papel vegetal.

Tapar com um pano húmido e deixar repousar enquanto se prepara o recheio.


Recheio:

700 g de polvo
500 g de tomate pelado em lata
1 cebola
3 dentes de alho
3/4 colher de chá de paprika picante
Sal
Pimenta
Azeite


Escaldar o polvo. Cortar em pedacinhos pequenos.

Refogar em azeite a cebola e os alhos picadinhos. Quando a cebola estiver dourada, adicionar o tomate cortado em cubos, bem como o seu molho. Envolver e deixar cozinhar alguns minutos.

Adicionar o polvo e meia colher de chá de paprika. Envolver bem e deixar cozinhar cerca de 30 minutos em lume esperto, até reduzir o líquido. Retirar do lume, temperar com sal, pimenta e a restante paprika. Deixar arrefecer.

Cortar a massa em treze círculos grandes e treze pequenos.

Untar treze forminhas com azeite. Forrar as formas com os círculos grandes. Dividir o recheio pelas várias formas. Tapar com os círculos pequenos.

Levar ao forno a 200º durante 35 minutos.



Aqui em formato de tartelette

Salada de couve-flor com castanha do Pará

A minha última aquisição em termos de livros de cozinha foi o The Scandinavian Cookbook, de Trine Hanemann. Como já referi aqui, a gastronomia nórdica interessa-me muito e já há muito tempo que andava à espera de uma oportunidade para comprar este livro, cheio de fotos bonitas e receitas interessantes.

Esta receita usa couve-flor crua, coisa que nunca tínhamos experimentado cá em casa, a qual repousa numa marinada de amêndoas, vinagre e sumo de limão. Como não tinha amêndoas em casa, usei castanha do Pará e gostámos do resultado.




Ingredientes:

240 g de couve- flor cortada em pedacinhos muito pequenos
50 g de miolo de castanha do Pará
50 ml de sumo de limão
1 dente de alho pequeno
1 colher de sopa de vinagre balsâmico
3 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de salsa picada
Sal
Pimenta


No liquidificador, triturar as castanhas com o sumo de limão, o vinagre, o alho e o azeite.

Numa taça, juntar o molho e a couve-flor cortada em pedacinhos muito pequenos. Temperar com sal e pimenta e deixar marinar durante 45 minutos.

No momento de servir, salpicar com salsa picada.

sexta-feira, 8 de Agosto de 2014

Bolo de chocolate com quinoa

Uma receita do Dish by Dish que me encantou e que tinha que experimentar! Um bolo sem glúten e com um intenso sabor a chocolate, no qual a quinoa acrescenta uma textura particular.

Na receita original sugeria-se uma cobertura, que eu dispensei, porque o bolo por si mesmo já é húmido e muito saboroso.





Ingredientes:

4 ovos
165 g de açúcar
530 g de quinoa cozida
100 ml de leite de soja
110 ml de óleo de girassol
1 colher de sopa de cacau em pó
100 g de chocolate negro
1 colher de chá de essência de baunilha
1 colher de chá de fermento
1 pitada de sal


Derreter o chocolate com o óleo em banho-maria.

Bater os ovos com o açúcar até formar um creme espesso. Adicionar o leite e a essência de baunilha e continuar a bater. Juntar o chocolate derretido com o óleo, mexendo sempre.

Em seguida, adicionar o cacau, o fermento, uma pitada de sal e a quinoa cozida. Mexer bem.

Verter para uma forma untada com óleo de girassol e levar ao forno a 190º durante 45 minutos.

quarta-feira, 6 de Agosto de 2014

Empadão de arroz e cuscuz com atum e vegetais

Aproveitando sobras de arroz basmati, arroz integral e cuscuz, resolvi inspirar-me na receita d'O Melhor Restaurante do Mundo é a Nossa Casa para fazer esta espécie de empadão, com recheio de atum e vegetais.




Ingredientes:

500 g de sobras de arroz e cuscuz cozidos (para uma versão sem glúten, utilizar só arroz)
2 ovos
1 colher de sopa de nata de soja
50 g de farinha de trigo integral (para uma versão sem glúten, utilizar farinha de arroz)
1 colher de sopa de azeite
1 colher de chá de fermento
Sal
Pimenta

Recheio

1/2 alho francês
2 latas de atum ao natural
1 cenoura
10 azeitonas verdes
4 tomates secos
1 colher de chá de oregãos
3 colheres de sopa de nata de soja
Sal
Pimenta
Azeite


Bater os ovos. Juntar a nata de soja, o azeite e as sobras de arroz e cuscuz, misturando bem.

Adicionar a farinha e o fermento e temperar com sal e pimenta. Reservar.

Num fio de azeite, refogar o alho francês cortado em rodelas. Quando estiver cozinhado, juntar a cenoura ralada e o atum desfeito.

Lavar as azeitonas em várias águas, cortar em rodelas e juntar à frigideira. Acrescentar o tomate seco picado e deixar cozinhar em lume brando durante alguns minutos. No final, juntar a nata de soja e envolver bem.

Retirar do lume. Temperar com sal, pimenta e oregãos.

Untar com azeite uma assadeira quadrada. Dispor metade da mistura de arroz e cuscuz no fundo. Colocar o recheio por cima, e terminar com a outra metade do arroz e cuscuz.

Levar ao forno a 200º durante 35 minutos.

domingo, 3 de Agosto de 2014

Mini-muffins de cenoura, azeitonas e manjericão

Estes mini-muffins são mais uma versão de pequenos salgados que se podem fazer para festas, eventos e reuniões de amigos, evitando os fritos. São muito saborosos e saudáveis!






Ingredientes:

1 cenoura
70 g de azeitonas verdes descaroçadas
75 ml de azeite
125 ml de leite de soja
2 colheres de sopa de sementes de linhaça
135 g de farinha de trigo integral
35 g de farinha de milho
12 g de manjericão fresco
1 colher de chá de fermento
1/2 colher de chá de sal fino
Pimenta


Moer as sementes de linhaça até ficar em farinha. Adicionar cinco colheres de sopa de água e mexer. Reservar.

Ralar a cenoura para uma taça grande. Lavar as azeitonas em várias águas para retirar o excesso de sal e cortar em rodelas e junta à taça, bem como o manjericão picado.

Adicionar o azeite e o leite de soja e mexer com uma colher de pau. Juntar a linhaça e continuar a mexer.

Noutra taça, misturar as farinhas, o fermento, o sal e a pimenta.

Juntar as duas misturas, mexendo com uma colher de pau. Distribuir a massa em formas de mini-muffin e levar ao forno a 180º durante 22 minutos.




sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Peixe-gato com broa

Para além do típico bacalhau com broa, que muitas vezes vemos no cardápio dos restaurantes ou em festas, a broa de milho faz uma cobertura fantástica para muitos outros pratos. Por exemplo, o The Love Food tem o seu já afamado tofu com broa e também o salmão ou a garoupa, e até mesmo o frango, agradecem o aconchego dado por uma bela crosta de broa.

Às vezes vemos receitas estrangeiras de crumbles salgados que nos parecem divinais e surpreendentes e esquecemo-nos de que, na nossa cozinha tradicional, temos também pratos semelhantes.

Este salteado de peixe com couve e grão tem outra graça depois de ir ao forno acompanhado por uma deliciosa broa de milho.




Ingredientes: 

600 g de filetes de peixe-gato
2 cebolas
3 dentes de alho
150 g de grão-de-bico
300 g de couve galega
Sal
Pimenta
Azeite

Cobertura

1/2 broa de milho
4 dentes de alho
4 colheres de sopa de azeite
1 ramo de salsa
Sal
Pimenta


Para a cobertura, colocar todos os ingredientes no liquidificador e triturar até a broa estar desfeita.

Cortar as cebolas em rodelas e refogar num fundo de azeite até estarem douradas.

Retirar e reservar.

Picar o alho e juntar ao azeite que ficou na frigideira. Adicionar a couve cortada em juliana e deixar murchar.

Tapar, baixar para lume brando e cozinhar durante 20 minutos.

Adicionar o peixe cortado em tiras e o grão. Deixar cozinhar 5 minutos. Retirar do lume, temperar com e pimenta.

Numa assadeira, dispor as cebolas, em seguida o peixe com os vegetais e por cima a broa desfeita.

Levar ao forno a 200º durante 20 minutos.

quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Grissini semi-integrais

Mais um desafio do Bake The World leva-nos a estes palitos saborosos, que normalmente são servidos nos restaurantes italianos. Parece que a sua origem remonta ao século XVII - o cozinheiro do rei Vittorio Amadero II criou estes palitos porque o rei, devido à sua saúde delicada, não podia comer o miolo do pão. Assim, o cozinheiro criou para ele um pão só com côdea!

Fáceis de fazer, são um bom acompanhamento para a sopinha do jantar. Adaptei a receita do Wild Yeast.





Noite do primeiro dia:

50 g de isco de trigo integral
100 g de farinha de trigo integral
105 g de água tépida


Misturar tudo numa taça de vidro. Tapar com um saco de plástico e deixar repousar à temperatura ambiente durante 10 horas.


Manhã do segundo dia:

Mistura do dia anterior
310 g de farinha de trigo branca
5 g de sal fino
2 colheres de sopa de azeite
100 g de água tépida
1/2 colher de chá de açúcar
Sementes de sésamo qb
Flor de sal qb

Juntar a farinha, o açúcar e o sal e misturar bem. Abrir uma cova no meio.

À mistura do dia anterior, adicionar o azeite e a água. Misturar bem e verter na cova aberta na farinha. Tapar o líquido com a farinha que fica nas extremidades e deixar repousar tapado com um saco de plástico durante 10 minutos.

Bater na batedeira profissional à velocidade 2 durante 6 minutos.

Lavar a taça de vidro usada no dia anterior e untar com azeite. Colocar aí a massa, dando algumas voltas de modo a ficar coberta de óleo. Tapar com o saco de plástico e deixar repousar 3 horas.


Dar algumas voltas à massa e dividir em 20 pedaços. Pegar numa das partes e enrolar como se fosse plasticina, de modo a formar uma pauzinho bem fino.

Passar os rolinhos por flor de sal e sésamo e dispor em papel vegetal, fazendo uma prega no papel para os separar entre si.

Repetir o processo até terminar a massa. Verificar que os grissini estão totalmente separados uns dos outros pelo papel vegetal, para não se colarem à medida que levedam.

Tapar com um pano húmido e deixar levedar 3 horas.

Aquecer o forno a 200º.

Levar ao forno 36 minutos, até dourarem. Desligar o forno e deixar os palitos no seu interior durante mais 15 minutos. Retirar e deixar arrefecer antes de servir.





segunda-feira, 28 de Julho de 2014

Linguini negro com espargos e camarão

As massas feitas com tinta de choco são sempre um regalo para os olhos. Fazem uns pratos de massa muito bonitos, neste caso adornados pelos espargos e pelo camarão.





Ingredientes:

250 g de linguine negro
150 g de espargos
100 g de miolo de camarão cozido
1 cebola
2 dentes de alho
2 tomates
200 ml de nata de soja
1 colher de sopa de salsa picada
Sal
Pimenta
Azeite


Colocar ao lume uma panela com água e sal. Quando levantar fervura, juntar os espargos; quando voltar a levantar fervura, retirar os espargos e na mesma água cozer a massa.

Entretanto, picar a cebola e os alhos e refogá-los num fio de azeite. Quando a cebola estiver dourada, adicionar o tomate cortado em cubos.

Descartar as extremidades fibrosas dos espargos, cortar em pedaços de cerca de 2- 3 centímetros e juntar à frigideira.

Deixar cozinhar em lume brando durante 8 minutos.

Ao fim desse tempo, adicionar o camarão e deixar cozinhar mais 1 minuto.

Juntar a nata de soja. Quando começar a fervilhar, retirar do lume, temperar com sal e pimenta, e juntar à massa, entretanto cozida e escorrida.

Polvilhar com salsa picada imediatamente antes de servir.

sábado, 26 de Julho de 2014

Salteado de peru e vegetais com cuscuz de espelta

Durante a semana, procuro sempre ter refeições variadas e diferentes; gosto especialmente das refeições que se podem fazer com antecedência e guardar em caixinhas. Adoro quando chega a hora de almoço e abro o frigorífico, tendo lá dentro qualquer coisa deliciosa a esperar por mim. Este salteado foi uma dessas refeições e garanto-vos que é perfeito para a marmita!




Ingredientes:

375 g de bifes de peru
150 g de espargos
80 g de ervilhas
2 cenouras
1 cebola
2 dentes de alho
150 ml de nata de soja
1 colher de sopa de salva fresca picada
Sal
Pimenta
Azeite


Colocar ao lume uma panela com água e sal. Quando ferver, juntar os espargos inteiros. Quando voltar a levantar fervura, retirar os espargos.

Cortar as extremidades fibrosas e descartar. Cortar o resto em pedaços de cerca de 2 - 3 centímetros.

Na mesma água, cozer as ervilhas e as cenouras cortadas em cubos durante alguns minutos. Retirar os legumes e reservar.

Cortar os bifes em tiras. Picar a cebola e os alhos.

Refogar a cebola e os alhos num fio de azeite. Quando a cebola estiver dourada, adicionar a carne e deixar selar de ambos os lados.

Adicionar então os legumes, baixar para lume brando e deixar cozinhar mais 10 minutos.

Juntar a nata de soja e a salva, envolvendo bem. Quando a nata começar a ferver, retirar do lume. Temperar com sal e pimenta.

Colocar uma caneca de cuscuz de espelta numa taça de vidro. Demolhar com duas canecas da água de cozer os vegetais, que ainda deve estar a ferver. Tapar e aguardar dez minutos.

Servir o salteado por cima do cuscuz.

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Bolachas recheadas com caju

O último desafio do Vamos Fazer Bolachas, lançado pelo Cravo e Canela, propõe bolachas recheadas. Já tenho algumas receitas dessas aqui no blogue, por isso queria experimentar fazer algo diferente. O que saiu foi isto!







Ingredientes:

350 g de farinha de trigo integral
125 g de açúcar amarelo
125 ml de óleo de girassol
50 ml de nata de soja
50 ml de leite de soja
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 vagem de baunilha
1 pitada de sal

Recheio

150 g de caju neutro
6 tâmaras secas
2 colheres de sopa de óleo de girassol
2 colheres de sopa de leite de soja
1 colher de sopa de nata de soja

Demolhar o caju em água durante 2 horas. Escorrer a água, passar por água limpa e colocar num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal.

Levar ao forno a 200º durante 20 minutos, até o caju ficar dourado.

Entretanto, fazer as bolachas. Juntar a farinha, o açúcar, o bicarbonato e o sal. Abrir a vagem e raspar as sementes com uma faca, juntando-as à farinha.

Adicionar o óleo de linhaça e envolver com uma colher de pau. Juntar os restantes ingredientes, envolvendo sempre com a colher. No final, amassar um pouco com as mãos.

Esticar a massa com o rolo, deixando-a com alguma altura para as bolachas não se partirem, e cortar com cortador de bolachas e dispor em tabuleiros forrados com papel vegetal.

Retirar o caju do forno e colocar as bolachas, baixando para 180º. As bolachas precisam de cerca de 20 minutos.

Entretanto, colocar o caju no liquidificador e triturar até obter uma pasta. Juntar o óleo de girassol quando a pasta começar a formar-se.

Adicionar em seguida os restantes ingredientes. Triturar bem.

Retirar as bolachas do forno e deixar arrefecer. Quando mornas, rechear duas a duas com o creme de caju. Deixar arrefecer completamente antes de servir.

quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Saag de couve-galega com grão

No Fat Free Vegan, há sempre receitas saborosas a experimentar. O saag, um tipo de caril de que já falei aqui, é muito apreciado cá em casa, por isso resolvi seguir a dica do Fat Free Vegan e fazê-lo com couve-galega.

Neste caso, a base foi usada com grão-de-bico e tomate, mas pode ser usada com carne de frango ou com outros vegetais.




Ingredientes:

600 g de couve galega
400 g de grão-de-bico cozido
2 tomates
1 cebola
3 dentes de alho
12 g de gengibre fresco
1 malagueta
1 colher de chá de cúrcuma
1 colher de chá de cominhos
1 colher de chá de coentros moídos
1 1/2 colher de chá de garam masala
200 ml de caldo de legumes
250 ml de leite de coco
50 g de caju neutro
2 colheres de sopa de polpa de tomate
Sal
Óleo


Cortar a couve em juliana. Picar finamente a cebola e os alhos. Abrir a malagueta e retirar as sementes. Descascar e picar o gengibre.

Aquecer no wok um fio de óleo e aí refogar a cebola, o alho, a malagueta e o gengibre. Quando a cebola estiver dourada, adicionar a cúrcuma, os cominhos, os coentros e o garam masala.

Deixar cozinhar dois minutos e juntar a couve e o caldo de legumes. Envolver bem, tapar e deixar cozinhar em lume brando durante 30 minutos.

No liquidificador, triturar o caju com o leite de coco, a polpa de tomate e uma pitada de sal. Acrescentar a couve e triturar bem até obter um creme.

Voltar a juntar o creme ao wok. Adicionar o grão e deixar cozinhar 5 minutos. Adicionar o tomate cortado em cubos e deixar cozinhar mais 5 minutos.

Retificar os temperos, se necessário, e servir com arroz basmati.

quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Salteado de cogumelos e espinafres

The Kitchen Diaries é um manancial de receitas deliciosas, que saem sempre bem. Este salteado é um excelente acompanhamento, com um toque asiático que tanto gostamos cá em casa.

Mais uma receita para participar no desafio Quinze Dias Com..., desta vez com Nigel Slater.




Ingredientes:

6 cogumelos chineses secos
1 molho de espinafres
3 dentes de alho
1 cebola pequena
1 malagueta
1 bolbo de erva-príncipe (citronela)
2 colheres de sopa de molho de soja light
1 colher de chá de óleo de sésamo
1/2 colher de chá de açúcar
Sal
Óleo de girassol


Demolhar os cogumelos em água a ferver, tapar e reservar durante 30 minutos.

Arranjar os espinafres, retirando os pés e lavando bem, mas sem cortar.

Retirar as sementes à malagueta. Picar a malagueta, a cebola e os alhos. Cortar o bolbo de erva-príncipe às rodelas.

Numa taça, juntar o óleo de sésamo, o molho de soja, o açúcar e uma pitada de sal. Reservar.

Aquecer um fio de óleo de girassol no wok. Refogar a cebola, os alhos, a erva-príncipe e a malagueta.

Quando a cebola estiver dourada, adicionar os espinafres, mexendo até murcharem.

Escorrer os cogumelos, retirar o pé e cortar em fatias, que se juntam aos espinafres. Deixar cozinhar mais dois minutos e juntar o molho previamente preparado. Deixar cozinhar mais um minuto, retirar do lume e servir de imediato.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...