terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Garoupa com molho de laranja e puré de batata doce e couve-flor

As laranjas são abundantes nesta altura do ano, graças a um carregamento que recebemos da parte de uns amigos que generosamente distribuem os citrinos da sua horta. Já não temos espaço no frigorífico para elas (espaço esse ocupado pelos limões, tangerinas e clementinas que também vieram...). Bebemos sumo de laranja com fartura, mas estava a precisar de encontrar outras utilizações para estes citrinos deliciosos, para não os deixar estragar.

Em boa hora vi o programa da Filipa Gomes dedicado a pratos com laranja e tirei inspiração para esta garoupa com molho de laranja, que ficou muito saborosa. Acompanhámos com salada e puré de couve-flor e batata doce, que se casou lindamente com o molho de laranja.



Ingredientes:

2 lombos de garoupa
1 laranja (raspa e sumo)
60 ml de vinho do Porto branco
1/4 colher de chá de amido de milho
1 rodela fina de gengibre
1 pitada de noz moscada
Sumo de limão
Azeite
Sal
Pimenta

Puré

2 batatas doces pequenas (total de 250 g)
1/2 couve-flor
Azeite
Leite de soja
Sal
Pimenta
Noz moscada
Sementes de papoila


Temperar o peixe com sal, pimenta e sumo de limão. Passados alguns minutos, dourar o peixe de ambos os lados num fio de azeite. Tapar, baixar o lume e deixar cozinhar durante 10 minutos.

Reservar o peixe, mantendo quente. Numa taça, juntar o sumo e a raspa da laranja, o vinho do Porto, o gengibre ralado, a noz moscada e o amido de milho. Mexer bem para dissolver o amido. Temperar com sal e pimenta.

Levar esta mistura à frigideira do peixe. Deixar fervilhar dois minutos, até começar a engrossar. Desligar do lume.

Empratar o peixe e regar com o molho. Servir com puré de batata doce e couve-flor.

Para o puré, cozer as batatas doces pequenas com a couve-flor. Quando os legumes estiverem bem cozidos, adicionar um fio de azeite e um pouco de leite de soja e triturar até obter um creme. Temperar com sal, pimenta e noz moscada. No prato, cobrir com sementes de papoila e uma parte do molho de laranja.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Arepas de frango e abacate

As arepas Reina Pepiada são uma receita típica da Venezuela, cujo o nome é uma homenagem a uma venezuelana que ganhou o concurso Miss Universo em 1955. Há muito tempo que queria experimentar fazer arepas em casa - tinha o pacote de farinha de milho pré-cozida na dispensa há mais de um ano! E finalmente hoje decidi que era o dia.

Inspirei-me em várias receitas (entre as quais esta e esta) e cheguei a um resultado muito satisfatório!



Ingredientes:

Massa

300 g de farinha de milho pré-cozida
480 ml de água tépida
1 colher de chá de sal fino

Recheio

240 g de frango cozido desfiado
2 abacates
1/2 cebola
1 dente de alho
3 colheres de sopa de maionese light
1 colher de sopa de vinagre de sidra
1 colher de chá de ají amarillo (pode substituir-se por uma pitada de piri-piri)
1 1/2 colher de sopa de coentros picados
1 1/2 colher de sopa de salsa picada
Azeite
Sal
Pimenta


Juntar a farinha com o sal. Abrir uma cova no meio e ir deitando a água, à medida que se vai envolvendo com um garfo. Deixar repousar durante 15 minutos para a farinha ficar totalmente hidratada.

Entretanto, preparar o recheio. Esmagar os abacates e juntar o vinagre e a maionese.

Refogar a cebola e o alho picados num fio de azeite. Quando a cebola estiver dourada, juntar o frango e deixar refogar dois minutos. Retirar do lume, adicionar o picante, os coentros e a salsa.

Juntar esta mistura ao abacate. Temperar com sal e pimenta e reservar.

Voltar então à massa das arepas. Amassar alguns minutos com as mãos e formar bolinhas pequenas (rende 18 arepas pequenas ou 9 grandes), que se achatam com cuidado - não devem ficar demasiado finas.

Aquecer duas frigideiras anti-aderentes e colocar aí os discos de massa. Quando começar a tostar de um lado, virar. Quando estiver tostado do outro, baixar o lume e deixar cozinhar 5 minutos de cada lado.

Abrir as arepas com uma faca, sem separar completamente as duas metades. Rechear com o frango e servir com salada.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Espadarte com cogumelos e couve pak choi

Este prato veio de uma inspiração de um episódio do Sarah's New Nordic Kitchen. Os sabores asiáticos são muito apreciados cá em casa, portanto este espadarte foi um sucesso de bilheteira!

O caldo que é feito a partir de cascas de gengibre é uma boa ideia do Bon Appétit, que vale a pena explorar. Portanto, a partir de agora, não deitem fora as cascas quando descascarem gengibre - guardem-nas numa caixa no frigorífico e quando tiverem uma quantidade suficiente, aproveitem para fazer este caldo aromático, que pode ser usado em sumos verdes, em sopas e obviamente em pratos asiáticos.




Ingredientes:

2 postas de espadarte
2 colheres de sopa de vinagre de arroz
1/2 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de açúcar mascavado escuro
1 colher de chá de pasta miso escura
300 g de cogumelos brancos
10 folhas pequenas de couve pak choi
2 dentes de alho
1 noz de gengibre
65 g de vermicelli de arroz
1 cebolo
Óleo de sésamo
Sementes de sésamo

Caldo

1/4 de chávena de cascas de gengibre
1 colher de sopa de molho de peixe
2 colheres de sopa de molho de soja
1 colher de sopa de óleo de sésamo


Colocar o peixe numa marinada de vinagre de arroz, sal, açúcar e pasta miso.

Preparar o caldo, colocar a ferver as cascas de gengibre em 650 ml de água. Ferver em lume médio durante 30 minutos. Deixar arrefecer completamente.

Coar o líquido e descartar as cascas. Reservar.

Refogar os alhos picados num fio de óleo de sésamo. Quando começarem a dourar, juntar os cogumelos e o gengibre ralado. Deixar cozinhar tapado em lume brando até os cogumelos murcharem e largarem a sua água.

Retirar os cogumelos com uma escumadeira. Ao líquido que ficou na frigideira, adicionar o caldo de gengibre. Juntar o molho de peixe, o molho de soja e o óleo de sésamo. Levar ao lume até levantar fervura e ferver em fogo esperto durante 2 minutos.

Fazer dois papilotes com papel de alumínio, dispondo por cima um quadrado de papel vegetal. Dividir a massa de arroz pelos dois papilotes. Colocar as folhas de couve por cima e e em seguida os cogumelos. Regar com o caldo. Fechar com cuidado para o molho não escapar.

Levar ao forno a 180º durante 15 minutos.

Entretanto, fritar o peixe em óleo de sésamo, dourando de ambos os lados.

Dispor o conteúdo dos papilotes em dois pratos. Por cima, colocar o peixe. Salpicar com sementes de sésamo tostadas e o cebolo picado.



sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Millet com cenoura e funcho assado com molho de tofu e coentros

Mais uma refeição vegetariana bem conseguida, partindo de uma inspiração inicial da Saveurs.




Ingredientes:

1/2 cebola
3 dentes de alho
2 cenouras
2 bolbos de funcho grandes
150 g de millet
1 laranja grande
1/4 colher de chá de ras-el-hanout
2 colheres de sopa de hortelã picada
2 colheres de sopa de coentros picados
2 colheres de sopa de rama de funcho picada
Sal
Pimenta
Azeite

Molho:

250 g de tofu
1 molho de coentros
2 colheres de sopa de sumo de limão
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
Sal
Pimenta


Cortar o funcho às fatias e assar no forno a 230º durante 20 minutos, virando a meio da cozedura.

Refogar a cebola e os alhos num fio de azeite. Quando a cebola estiver dourada, adicionar as cenouras cortadas às rodelas. Deixar refogar alguns minutos.

Adicionar então o millet e deixar tostar ligeiramente. Acrescentar uma chávena e meia de água a ferver, um pouco de sal e deixar cozinhar em lume baixo.

Quando o millet estiver quase cozido, adicionar o sumo e a raspa da laranja e deixar fervilhar mais dois minutos. Retirar do lume, juntar as ervas e temperar com sal, pimenta e ras-el-hanout.

Para o molho, acrescentar todos os ingredientes à liquidificadora, juntando um pouco de água, se necessário. Bater até obter um creme.

Dividir o millet por quatro pratos; por cima, dividir o funcho. Terminar o prato com duas colheres de sopa de molho.

domingo, 17 de janeiro de 2016

Sopa de tupinambo e avelã

Uma sopa maravilhosa, aveludada e muito gourmet, em que o sabor do tupinambo (de que já vos falei aqui) dá o toque absolutamente surpreendente, muito bem acompanhado pela avelã. Foi a minha receita para o tradicional jantar de Natal que fazemos todos os anos com um grupo de amigos, no qual cada pessoa é responsável por um prato. Assim, construímos um menu de degustação todo fino, sem dar muito trabalho a ninguém!

Este ano esse jantar foi adiado para depois do Natal (porque o dito é quando o homem quiser, certo?), mas nem por isso foi menos divertido e delicioso. Começou muito bem, com esta sopa inusitada, que podia fazer parte de um qualquer menu de degustação de um restaurante nórdico.




Ingredientes:

600 g de tupinambo ou girassol-batateiro
1 nabo
1 cebola grande
Resíduo de leite de avelã (a parte sólida que fica depois de se coar o leite vegetal)
Avelãs qb
Rama de funcho qb
Sal
Pimenta


Descascar os tupinambos, o nabo e a cebola. Juntar numa panela, adicionando o resíduo de avelã. Acrescentar água, sem cobrir completamente os vegetais. Levar a cozer até estar tudo bem cozido.

Triturar no liquidificador até obter um creme aveludado. Acrescentar um pouco de água, se necessário.

Voltar a levar a lume brando e deixar fervilhar mais 15 minutos. Retirar do lume e temperar com sal e pimenta.

Entretanto, tostar as avelãs no forno. Depois de tostadas, embrulhá-las num pano e esfregar umas contra as outras para sair a pele. No almofariz, partir grosseiramente.

No momento de servir, colocar uma rama de funcho e algumas avelãs partidas.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Bolo de batata doce e coco

Mais um bolinho bem saudável, sem lactose, sem glúten e sem açúcar adicionado. A consistência fica muito gulosa, lembrando um pouco um pudim, e o sabor é de ir ao céu (e voltar para comer uma segunda fatia).




Ingredientes:

4 batatas doces pequenas (cerca de 480 g no total, pesadas com casca)
45 g de farinha de coco
22 tâmaras secas descaroçadas
2 ovos
1 colher de sopa de óleo de coco + qb para untar
1 colher de chá de fermento
1 pitada de sal
Raspa de um limão
1 colher de sopa de mel (opcional para os mais gulosos)


Descascar as batatas doces e cozê-las a vapor.

Demolhar as tâmaras em água quente durante o tempo da cozedura das batatas.

No liquidificador ou processador de alimentos, triturar a batata doce com as tâmaras até obter um creme homogéneo.

Adicionar os ovos, a farinha de coco, o óleo de coco, o fermento, o sal, o mel (se usar) e a raspa de limão. Bater bem.

Forrar uma forma circular com papel vegetal. Untar com óleo de coco.

Verter a massa e levar ao forno a 180º durante 35 minutos.




quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Endívias recheadas com maionese de ovos e caril

Mais uma entrada que fica muito bem na mesa dos aperitivos, esta receita começou por ser uma inspiração do BBC Good Food, mas levou algumas alterações.






Ingredientes:

2 endívias
4 ovos
6 colheres de sopa de maionese light
2 colheres de chá de pó de caril
2 cebolos
2 colheres de sopa de coentros picados
Marmelada qb
Sumo de limão qb
Sal
Pimenta


Cozer os ovos. Esmagar com um garfo e juntar a maionese, o caril e os coentros picados.

Picar os cebolos finamente e adicionar à mistura. Temperar com sal, pimenta e sumo de limão.

Separar as folhas das endívias e lavar com cuidado. Dispor as folhas num prato e rechear com o preparado. Por cima, colocar meia colher de chá de marmelada.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Aperitivos de batata doce com presunto

Um aperitivo simpático, muito fácil de fazer, que fica muito bem na mesa do Ano Novo. Aqui fica a sugestão! A inspiração veio do BBC Good Food.




Ingredientes:

2 batatas doces médias
80 g de presunto
2 colheres de sopa de maionese
1 colher de sopa de sumo de limão
1/2 colher de sopa de mostarda
Sal
Pimenta


Descascar as batatas e cortar em rodelas de cerca de 1 centímetro de espessura. Regar com um fio de azeite, temperar com sal e pimenta e levar ao forno a assar.

Misturar a maionese, o sumo de limão e a mostarda. Temperar com uma pitada de sal.

Colocar as rodelas de batata doce num prato. Por cima, dispor meia fatia de presunto. Finalizar com uma colher de chá de maionese.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Peru recheado com castanhas e cogumelos

Mais uma receita de peru recheado, para ir variando os sabores no Natal. Esta associação é bastante clássica - castanhas com cogumelos - e fica deliciosa.






Ingredientes:

1 peru de 3,5 kg
3 laranjas
2 limões
260 g de miúdos de peru e de frango
250 g de cogumelos shitake
300 g de castanhas (pesadas sem casca)
60 g de presunto
1 cebola
4 dentes de alho
1 ovo
1 dl vinho branco
2 colheres de sopa de "nata" vegetal
Sal
Pimenta
Noz moscada
Azeite


Colocar o peru num alguidar grande. Cortar as laranjas e os limões em rodelas e espalhar pelo alguidar, juntamente com uma mão cheia de sal grosso. Cobrir a ave com água e deixar marinar 24 horas.

Refogar a cebola picada num fundo de azeite. Quando a cebola estiver dourada, juntar os miúdos picados grosseiramente. Deixar cozinhar em lume médio. Entretanto, cozer as castanhas em água.

No liquidificador ou processador de alimentos, juntar os miúdos, as castanhas e o ovo. Triturar até obter uma pasta.

Na mesma frigideira onde se cozinharam os miúdos, juntar agora os dentes de alho e os cogumelos picados.

Deixar cozinhar até os cogumelos murcharem. Adicionar então a pasta anterior e o vinho branco. Deixar cozinhar alguns minutos, até o álcool evaporar.

Juntar o presunto cortado em tiras. Temperar com sal, pimenta e noz moscada. Acrescentar a "nata" vegetal e misturar bem.

Retirar o peru da água e secar com papel de cozinha.

Rechear o peru com o preparado. Cozer com uma linha a abertura do peru. Temperar com sal e pimenta e barrar com azeite.

Cobrir o peru com papel vegetal. Seguidamente, cobrir o papel vegetal com folha de alumínio, certificando-se que fica bem fechado.

Levar ao forno a 170º durante 4 horas. Pouco antes de servir, retirar o alumínio e o papel vegetal e deixar dourar durante 15 minutos.



Já no prato

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Quadrados de batata doce e pistácio

Sempre que faço o jantar da Consoada em minha casa, procuro aliar os sabores tradicionais a paladares mais exóticos. Os comensais mais conservadores torcem o nariz às inovações, mas eu fico contente de cada vez que, da minha cozinha, saem pratos inusitados.

A associação da batata doce com o pistácio e o cardamomo resulta muito bem para quem, como eu, gosta dos sabores de outras paragens, ao mesmo tempo mantendo algo do tradicional - a nossa batata doce, sempre tão presente na mesa do Natal.





Ingredientes:

3 batatas doces (400 g no total)
5 ovos
150 g de açúcar mascavado escuro
65 g de pistácio descascado
Raspa de 1 limão
60 g de farinha de trigo branca
10 vagens de cardamomo (ou 1/2 colher de cardamomo moído)
1 pitada de sal

Para decorar

Pistácio moído qb
Açúcar dourado


Cozer as batatas doces e reduzir a puré. Misturar com os ovos, a raspa de limão e o açúcar.

Abrir as vagens dos cardomomos e retirar as sementes. Moer no almofariz.

Triturar os pistácios e juntar os mesmos com a farinha, o cardamomo e o sal. Juntar esta mistura ao preparado anterior.

Verter para um tabuleiro retangular forrado com papel vegetal. Colocar em forno pré-aquecido a 180º durante 25 minutos.

Retirar do forno e polvilhar com pistácio moído e açúcar dourado. Deixar amornar e cortar em quadrados.

domingo, 20 de dezembro de 2015

Dolmadakia

Os dolmadakia são uma receita do Médio Oriente - quem conhece a cozinha libanesa, turca e grega provavelmente já os provou. Normalmente, são feitos com folhas de videira e são servidos frios, como entrada. Neste caso usei folhas de beterraba (inspirada nesta receita) e de couve tipo kale, fiz algumas alterações ao recheio tradicional e servi-os quentes, como prato principal.




Ingredientes:

30 folhas de beterraba
15 folhas pequenas de couve
1 cebola
3 dentes de alho
1 couve-rábano
3 colheres de sopa de polpa de tomate
1 colher de sopa de sementes de girassol
20 pistácios descascados
80 g de arroz para risotto
1 1/2 colher de sopa de salsa picada
1 1/2 colher de sopa de menta picada
1 1/2 colher de sopa de rama de funcho picada
1/2 colher de chá de pimentão doce
1 colher de café de paprika picante
Sumo de meio limão
Sal
Pimenta
Azeite


Colocar uma panela com água a ferver. Ferver as folhas durante 1 minuto. Retirar as folhas e reservar a água.

Picar a cebola e os alhos e refogar num fio de azeite. Quando a cebola estiver dourada, adicionar a couve-rábano ralada e cozinhar em lume brando durante alguns minutos.

Adicionar a polpa de tomate, temperar com sal e pimenta e juntar o arroz e meio copo de água quente. Deixar fervilhar até a água ter sido absorvida.

Tostar as sementes e os pistácios. Partir grosseiramente no almofariz e acrescentar ao recheio, juntamente com as ervas aromáticas. Corrigir os temperos, se necessário.

Rechear as folhas colocando uma colher de café de recheio no centro e enrolando as folhas sobre o recheio. No caso das folhas de beterraba mais pequenas, pode usar-se duas folhas sobrepostas.

Ir dispondo os rolinhos numa frigideira pequena, de modo a ficarem bem apertados uns contra os outros.

Regar com o sumo de limão e acrescentar alguma água da cozedura as folhas, só até cobrir os rolinhos. Salpicar com sal grosso. Colocar um prato por cima e levar a lume médio durante 15 minutos.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Robalo em papilotes com legumes e funcho

Peixe cozinhado em papilotes é sempre uma boa solução. O sabor do peixe fica intacto, os legumes ganham todo o destaque que precisam e a conjugação de sabores e aromas normalmente resulta bem. Foi o caso deste robalo, acompanhado por uma deliciosa salada de tupinambo com nozes.




Ingredientes:

2 lombos de robalo
1 pastinaga
1/4 alho francês (a parte branca)
75 g de pimento verde
2 colheres de sopa de rama de funcho
Sumo de meio limão
Sal
Pimenta
Azeite


Temperar o peixe com o sumo de limão e pimenta. Deixar marinar.

Cortar os legumes em palitos. Refogar num fio de azeite até murcharem. Juntar a rama de funcho e temperar com sal e pimenta.

Colocar dois quadrados de papel vegetal por cima de dois quadrados de papel de alumínio. Colocar o peixe no centro, cobrir com os legumes e fechar o papel vegetal. Por cima, fechar o papel de alumínio, tendo cuidado para este não ficar em contacto com os alimentos.

Levar ao forno a 200º durante 20 minutos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...